THE ROYAL SOCIETY: “A single ‘weight-lifting’ game covers all kinds of games”

https://royalsocietypublishing.org/doi/10.1098/rsos.191602

Matemáticos criaram modelo unificado para a Teoria dos Jogos, usada na previsão de interações humanas. Antes, dividiam-se cinco principais modelos, incluindo o utilizado pela Operação Lava-Jato (O Dilema do Prisioneiro). A criação propõe o exercício de dois atores na tarefa de levantar peso. Conforme as diferentes tomadas de ação possíveis, analisam-se os comportamentos. Com isso, para os cientistas, ficou mais claro como analisar mecanismos de cooperação social. A sugestão é de que a ferramenta matemática possa ser usada até para a análise das causas de revoluções sociais, bem como do surgimento da arte e de vídeo games. A pesquisa foi financiada por agência de fomento japonesa e o artigo foi publicado em revista científica britânica.

G1: “Brics divulga ‘Declaração de Brasília’, documento final da cúpula do grupo; leia a íntegra”

Líderes de Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul participaram em Brasília da 11ª Cúpula do Brics com o tema 'Brics: crescimento econômico para um futuro inovador'. Acesso em: 14 nov 2019.

Poucas medidas concretas, mais mais (sic) do mesmo e zero notação sobre os distúrbios recentes, na América Latina. Em suma:

  • Fortalecimento do banco dos BRICS e abertura de sucursais regionais;
  • Fortalecimento de fundo monetário cotizado;
  • Pró-FMI e pró-OMC;
  • Reforma da ONU;
  • Criação da Aliança Empresarial de Mulheres do BRICS;
  • Pró-sustentabilidade econômico-sócio-ambiental;
  • Pró-redução de carbono (Protocolo de Kyoto);
  • Implementação de sistema satelital dos BRICs;
  • Cooperação e intercâmbio em saúde, cultura, Direito, ciência e tecnologia e pagadoria;
  • Anti-armamentismo espacial;
  • Pró-liberalismo;
  • Anti-corrupção;
  • Anti-terrorismo; e
  • Paz na Síria, no Iêmen, dentre Palestina e Israel, dentre as Coreias, no Golfo.

R7: “Negros ganham menos mesmo com nível educacional semelhante”

Síntese de Indicadores Sociais, do IBGE, mostra que de 2012 a 2018 aumentou índices que indicam que há discriminação no mercado de trabalho

Em geral, no Brasil, brancos ganham 73,9% (2018) a mais do que pretos ou pardos. Enquanto renda média em lares brancos é de R$1.846,00, a renda média em lares negros é de somente R$934,00. Desocupação dentre pretos e pardos é, também, 4,6% (2018) maior do que desocupação dentre brancos. Ainda, segundo o IBGE, disparidade de renda racial é maior do que disparidade de renda sexual. Homens ganham, em média, 27,1% a mais que mulheres. Em geral disparidade de renda é maior nos Estados do Nordeste e do Norte.

G1: “Crise levou 4,5 milhões a mais à extrema pobreza e fez desigualdade atingir nível recorde no Brasil, diz IBGE”

País chegou a 2018 com 13,5 milhões de pessoas em extrema pobreza, contingente maior que toda a população de países como Bélgica e Portugal. Metade vive no Nordeste.

Subsistem com até R$146,00 por mês. Miséria é mais de pretos, pardos e nordestinos. Já são mais do que a população de Portugal, Grécia ou Bélgica inteira, por exemplo. Índice de Gini saiu de .524 (2015) para .545 (2018). Maior parte da renda de miseráveis vem de pensões e ajudas familiares. Segundo IBGE, bastaria 1 bilhão de reais do orçamento para esta situação se subverter. Isso daria uma ajuda de custo de apenas R$76,00 por mês, para cada ser humano na extrema pobreza, no país.